sábado, 27 de setembro de 2014

Amar sem tempo

Entre os tempos do amor
E tempos para amar
Sobra relógio
E falta pele

O presente vira uma lembrança
E o desejo se disfarça de medo
Não, não é da solidão

É da norma
Da regra
Da lei
Do padrão

Tem muita penitência
Pra pouco pecado
As contas não batem
Mas as portas sim

Toda escolha tem seu preço
Todo amor tem seu valor

E ele pode estar
Ou ele pode estar vindo
Se é que ele 
não já passou.

                                                          Denise Viana

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir

Contribua com o seu Comentário...